Decisão sobre meta fiscal fica para segunda-feira

O presidente participará ainda nesta tarde de cerimônia no Palácio do Planalto para anunciar a distribuição do lucro do FGTS para os trabalhadores


Tribuna da Bahia, Salvador
10/08/2017 15:54 | Atualizado há 13 dias, 35 minutos

   

A assessoria de imprensa da Presidência da República informou nesta tarde de quinta-feira (10), que acabou a reunião do presidente Michel Temer com a equipe econômica e com líderes. Segundo o Planalto, não haverá falas. O presidente participará ainda nesta tarde de cerimônia no Palácio do Planalto para anunciar a distribuição do lucro do FGTS para os trabalhadores.

A decisão do governo de tentar antecipar o anúncio de mudança na meta fiscal deste ano para um rombo próximo a R$ 159 bilhões demonstrou mais uma vez a divisão dentro da equipe econômica sobre o "timing" da medida. Integrantes do Ministério da Fazenda pregavam que era preciso aguardar os dados da arrecadação de agosto e também o resultado obtido com o programa de parcelamento de débitos tributários, o Refis, antes de qualquer definição, enquanto outra ala da área econômica defendia que, diante da situação dramática, não era possível esperar essas informações para tomar uma posição.

A queda de braço também se dá na ala política, com ministros próximos ao presidente Michel Temer argumentando que era melhor aguardar os dados, enquanto outros defendiam que o anúncio fosse feito o mais breve possível. Um dos que defenderam que se aguardasse para revelar a mudança na meta, segundo apurou o Broadcast, foi o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Participaram da reunião os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Henrique Meirelles (Fazenda); Dyogo Oliveira (Planejamento), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Também estavam presentes Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado; deputado André Moura (PSC-SE), líder do governo no Congresso; deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder do governo na Câmara dos Deputados; e deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), líder da maioria na Câmara.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas